Take a fresh look at your lifestyle.

11 dicas para viajar para a Europa gastando pouco

Selecionamos onze dicas para você conseguir viajar para a Europa gastando pouco sem abrir mão do conforto ou de visitar pontos turísticos importantes.

2

Há quem diga que quem transforma uma viagem em chique e salgada é o viajante e que dá sim para ir para lugares mais caros sem gastar preços exorbitantes, tudo vai depender das escolhas do passageiro. Neste artigo, vamos mostrar como é possível viajar para a Europa gastando pouco, sem abrir mão do conforto ou de visitar pontos turísticos importantes dos diversos países desse continente. 

Leia mais: 

1 – Fique fora da alta temporada

O melhor momento para visitar os países da Europa é entre os meses de setembro a novembro – outono e período de baixa temporada tanto para os brasileiros como para os europeus, o que garante preços mais baratos. 

Se você optar por ir entre dezembro e março pegará o inverno, muitas vezes rigoroso, o que pode ser uma opção se você quer ver e conhecer a neve; já viajar para lá entre os meses de junho e agosto não é recomendado, pois é alta temporada, quando acontece o verão europeu e os preços estão mais altos. 

2 – Vá para locais menos famosos

Londres, Paris, Roma… Quase todo mundo tem o sonho de conhecer essas cidades européias por conta de suas histórias e belezas naturais, mas a verdade é que existem outras cidades e países europeus tão bonitos e importantes quanto, que com certeza também vão te encantar. A boa notícia é que lugares como Polônia, Montenegro, Estônia, Hungria e até Portugal são lugares com melhor custo benefício para onde você pode se aventurar. 

3 – Seja flexível com os destinos

Essa dica é para quem pretende visitar mais de um destino europeu na mesma viagem, ao invés de passar todo o tempo de férias somente em um país. Imagine que você pretende visitar Portugal, Espanha e depois ir para a Polônia, com a ideia de que quer começar a aventura pela Polônia. A nossa recomendação é: não se apegue a isso. 

Enquanto estiver se planejando, não hesite em pesquisar passagens para todos os destinos, pois se por acaso encontrar uma boa promoção de passagem aérea para Espanha ou Portugal vai poder aproveitá-la, ao invés de ficar fechado à ideia de começar tudo pela Polônia, somente. Basta apenas dar uma reorganizada no roteiro.  

4 – Viaje de ônibus entre países ou utilize passagens aéreas de baixo custo

Para se locomover entre países a nossa dica é utilizar o famoso ônibus, meio controverso em solo brasileiro, mas que funciona melhor nos países europeus. Existem diversas empresas que vendem passagens de ônibus por um preço bem baixo. Inclusive, algumas pessoas conseguem aproveitar passagens por apenas um euro. 

Outra dica ainda sobre este tópico é viajar a noite, pois assim as passagens são mais baratas ainda e você consegue economizar uma pernoite de hospedagem, além de ganhar um dia de viagem (quando você viaja de dia, “perde” a claridade, o sol e essas horas na estrada; se viajar de noite, pode dormir no transporte e, quando chegar, já aproveitar para conhecer o local). 

Se você não quer perder muito tempo na estrada, pode optar por chegar a outro país por meio das passagens aéreas de baixo custo, também chamadas de “low cost”. As passagens são de valor bem baixo para viajar dentro do continente e o serviço é bem básico, mas pode valer a pena.  

Não esqueça de ficar atento ao tipo de passagem que você está comprando e ler bem o seu bilhete, para não cair em ciladas. Algumas passagens de baixo custo têm restrição de bagagem e você pode ter que acabar pagando uma taxa extra bem alta se não se atentar às regras, o que torna a viagem cara e contraproducente. 

5 – Faça comparações e veja se não vale a pena optar por um stopover

O stopover é uma modalidade de passeio para você conhecer lugares diferentes numa mesma viagem de avião pagando mais barato na passagem. Voluntariamente, você escolhe comprar uma passagem de avião com escala ou conexão que dure muitas horas ou alguns dias e tem esse tempo para desfrutar de outra cidade que não é o seu destino final. A TAP, por exemplo, realiza o serviço nas cidades do Porto e Lisboa (Portugal). 

Esta pode ser uma outra opção para você economizar na viagem, mas para ter certeza é necessário fazer algumas comparações, como: se é mais barato fazer um stopover ou fazer a viagem de trem de alta velocidade, ônibus ou por meio de passagens de baixo custo. Aqui no Promobit temos um artigo exclusivo sobre stopover e lá você pode ver algumas simulações de vôos que mostram como o serviço funciona detalhadamente e porque ele é mais barato. 

6 – Hospede-se perto dos pontos turísticos

Se você se hospedar em hotéis no centro da cidade ou perto dos pontos turísticos principais eles vão ser mais caros, mas nada impede que você encontre um hostel ou uma acomodação no Airbnb (que são mais baratos) próximos de onde você quer visitar. Isso te faz economizar com transporte e ainda te faz observar mais a paisagem, o ritmo e estilo de vida de onde você está, como a cidade funciona, etc. 

7 – Priorize passeios gratuitos

Assim como aqui no Brasil, pelos países da Europa existem diversos museus e atrações gratuitas, que você pode visitar sem gastar nada. Outra opção é visitar parques para admirar a paisagem e até fazer piqueniques, simplesmente sentido a viagem e o momento. Mesmo se você fizer atrações pagas, pesquise no site da própria atração o dia em que o ingresso é mais barato e planeje sua viagem de acordo com essa programação. 

Estudantes e jovens ainda podem optar por fazer a Carteira Internacional do Estudante para pagar mais barato para visitar as atrações. O serviço é pago e existem modalidades diferentes de carteirinha, mas pode valer a pena se você pretende viajar para o exterior outras vezes, porque o documento demora para vencer. 

8 – Não deixe de comer bem, mas saiba economizar

 

Não é porque você vai viajar para a Europa gastando pouco que precisa comer em fast foods todos os dias, ainda mais considerando que parte da experiência de uma viagem é experimentar os pratos típicos de cada local. Considerando isso, nossa dica é que você escolha um hostel com café da manhã e faça uma boa primeira refeição do dia, para comer somente alguns petiscos a tarde e depois caprichar na janta, aí sim em algum restaurante (se você quiser, também pode optar por aqueles mais afastados do centro, geralmente mais baratos). 

Os petiscos você pode comprar em um mercado local (esta é outra parte interessante de se conhecer a cultura local) e, se estiver alugado um quarto ou apartamento privativo, pode comprar os ingredientes para seu café da manhã ali também. 

9 – Confira o valor mínimo que você precisa para entrar no país de destino

Ir para a Europa gastando pouco é bom, mas mesmo assim a gente precisa levar uma quantidade mínima de dinheiro na moeda local para poder entrar no país, se não somos barrados pela alfândega. Por isso, recomendamos que você pesquise quanto será necessário ter para entrar nos países que quiser. 

Para ir para a Espanha, por exemplo, você precisará levar 68 euros por dia de permanência. Ainda há um valor mínimo de 570 euros, ou seja, mesmo que você fique somente dois dias lá (o que daria 136 euros), você vai precisar apresentar 570 euros. É importante ressaltar ainda que este dinheiro é exigido em espécie, como uma comprovação real de que você tem capacidade financeira de se manter no país (o dinheiro do cartão internacional é invisível, na prática não dá para saber que ele existe). 

10 – Acompanhe o valor da moeda e compre no melhor momento

Não espere para comprar as moedas locais que você precisar de última hora. O legal é, do momento que você decidir viajar até a aproximação da viagem, você acompanhar a variação de preço das moedas locais que precisar e comprá-las aos poucos, conforme encontrar uma boa oportunidade, quando a moeda estiver custando menos. Assim, também não terá que desembolsar uma grande quantidade de dinheiro de uma vez, por um preço que não consegue saber se está alto ou baixo e que não tem como considerar sobre. 

11 – Não se apegue aos souvenirs

Quando visitamos feiras de artesanato e centros históricos geralmente há lojas e bancas próximas que vendem enfeites e objetos sobre a cidade, como canecas, camisetas e estátuas. No primeiro momento ficamos encantados e queremos levar alguma forma de recordação do que estamos vivendo e isso é até saudável, mas não precisamos exagerar. Por isso, se for possível, não se apegue aos souvenirs e pondere bem sobre o item que você quer comprar: “onde você vai deixá-lo em casa? Há espaço? Você precisa deste objeto?”. Isso te fará economizar dinheiro e peso na mala de viagem de volta. 


Depois de ler nossas dicas sobre como viajar para a Europa gastando pouco, o que acha de dar uma olhada nas nossas promoções de pacotes de viagem para economizar ainda mais? Não se esqueça de pesquisar hospedagem usando algum cupom de desconto Booking ou dar uma olhada nas promoções Trivago!

Veja também
Comentários

Novo comentário
cancelar
Responder comentário:

Quer receber alertas de novas postagens?

Receba notificações em seu navegador!