topbar_amazon_bookfriday
Guia de compras

Motorola Edge 40 vale a pena ou é só mais um?

Tela e desempenho de topo de linha, mas com pouca bateria e poucas novidades. Leia mais e saiba se o Motorola Edge 40 vale a pena.

Avatar do membro Bruno Braga

Bruno Braga

24 de mai de 2023

0 comentários

Compartilhe:

Sendo a linha Edge a casa dos aparelhos premium da Motorola, é de seus esperar que seus novos modelos tragam algo novo e façam a marca ser uma presença relevante no mercado de celulares top de linha. E sendo o mais novo da família a chegar ao Brasil, o Motorola Edge 40 parece não corresponder tanto a essa expectativa. Ele se trata de uma versão melhorada do Edge 30 Fusion ou apenas uma versão limitada do Edge 40 Pro? Confira nossa análise para entender se o Motorola Edge 40 vale a pena. 

Design e conectividade

Imagem exemplificando o trecho de texto anterior

O Motorola Edge 40 se assemelha ao Edge 30 Fusion em várias coisas e o design é uma delas, tendo bordas curvas e extremidades levemente arredondadas. E tal qual seu predecessor, também possui a traseira texturizada, com o módulo de câmeras com dois sensores no topo superior esquerdo. Módulo esse que faz com que o celular não fique reto com colocado sob a mesa, já que os sensores das câmeras são maiores que a traseira do smartphone em si, sendo necessário uma capinha para equipará-los em tamanho. De forma geral, trata-se de um celular visualmente bonito e refinado, que pode ser adquirido nas cores preto, verde claro e viva magenta – a cor pantone de 2023. 

A disposição de botões em seu corpo também se dá de forma padrão, com o botão de bloqueio com leitor de digital e os controladores de volume na lateral direita. Sua lateral esquerda é totalmente livre de botões, assim como a parte superior, que conta apenas com um dos alto-falantes e um sensor de microfone. Já na parte inferior, encontra-se a gaveta para o cartão SIM, a porta USB-C, o segundo sensor de microfone e o segundo alto-falante. O Motorola Edge 40 conta com o Android 13 de sistema operacional, com conectividade 5G, Wifi 6, Bluetooth 5.2, NFC e certificação IP68 de resistência a água e poeira.   

Tela e áudio 

A tela do Edge 40 possui tecnologia p-OLED, de 6.55 polegadas, resolução Full HD+ e conta com até 144Hz de taxa de atualização. É de se esperar uma tela com ótima nitidez e que funciona de forma bem fluida, apesar de ficar atrás dos 165Hz presentes na versão Pro. E caso deseje manter um equilíbrio entre fluidez e economia de bateria, manter a taxa de atualização na opção automática permite o celular alcançar até 120Hz de forma nativa. 

Seu brilho máximo se mostra ainda melhor que o do Edge 30 Fusion, permitindo ser utilizado sem grandes problemas sob a luz do Sol. O display de forma geral é um dos pontos fortes do dispositivo, exibindo cores vivas e de boa resolução juntamente com um bom nível de contraste. O Edge 40 possui suporte a HDR10, mas não possui o Dolby Vision presente apenas na versão Pro. 

Quanto ao seu áudio, este modelo possui áudio estéreo com suporte a Dolby Atmos. E apesar de apresentar um som bem equilibrado, peca um pouco na acentuação, se mostrando inferior ao Edge 30 Fusion e ao Edge 40 Pro na definição de sons mais graves.  

Desempenho e bateria

Imagem exemplificando o trecho de texto anterior

O chipset responsável pelo processamento do celular é o Dimensity 8020 da MediaTek, que somado aos seus 8 GB de memória RAM, possui poder de fogo o suficiente para executar a grande maioria dos jogos mobile disponíveis, além de usos multitarefas de forma limpa e sem engasgos. Não é uma grande evolução em relação ao Edge 30 Fusion, mas ainda se trata de um celular com ótimo desempenho, ficando próximo do ROG Phone 5s e do Xiaomi 12T Pro. 

Por outro lado, sua bateria pode ser considerada um dos pontos fracos do aparelho. Mesmo em meio a um padrão estabelecido de 5.000 mAh, mesmo em celulares premium, o Motorola Edge 40 se mantém na mesma do Edge 30 Fusion com 4.400 mAh de bateria. Em compensação, ele vem com um carregador poderoso de 68W em sua caixa. Portanto, quanto a bateria ele deixa a desejar de um lado, mas não decepciona completamente. 

Câmeras

A câmera principal possui 50 MP, e seus resultados em fotos são mistos, ficando em um meio termo entre conseguir reproduzir detalhes mas com algumas imperfeições, juntamente com texturas de aspecto artificial, muito por conta de seu pós-processamento. Por outro lado, sua capacidade de reproduzir cores é boa, assim como seus resultados no modo retrato. Em locais com pouca luz, o modo noturno é ativado de forma automática, e também conta com bons resultados de forma geral, tanto em nível de detalhes quanto em cores, sendo essa uma boa evolução em relação ao Edge 30 Fusion. Esta lente suporta vídeos em até 4K a 30 frames por segundo em uma qualidade boa, porém repetindo alguns dos problemas de texturas com aspecto artificial.

Seu segundo sensor trata-se de uma ultrawide de 13 MP, que também funciona como lente macro. Enquanto grande angular, seus resultados ficam entre o intermediário e bom, com bons detalhes mas pouco brilho. Já enquanto lente macro seus resultados são ótimos, se destacando principalmente por sua vivacidade de cores. Esse é um grande acerto da Motorola nesse modelo, considerando que vários smartphones da atualidade possuem uma lente macro dedicada, mas geralmente com pouquíssima resolução e consequentemente baixa qualidade. Essa segunda lente também é capaz de gravar vídeos em 4K a 30 fps, com uma qualidade levemente inferior em relação a câmera principal, mas ainda boa. 

A câmera frontal possui 32 MP e também entrega bons resultados, bom um ótimo nível de detalhe e sem exagerar no pós-processamento de texturas, fazendo com que selfies não fiquem com um aspecto de filtro de Instagram ou de modo embelezamento constante. Por outro lado, ela não possui o autofoco presente na câmera frontal do Edge 30 Fusion. De forma geral, seu conjunto de câmeras é bom, mas fica em um misto entre evolução e downgrade  em relação ao modelo anterior. 

O Motorola Edge 40 vale a pena? Preço e veredito

Imagem exemplificando o trecho de texto anterior

O Motorola Edge 40 vale a pena sim em casos específicos de quem está com um smartphone mais antigo e procura dar um grande upgrade para um aparelho atual. Porém, por possuir tantas similaridades com o Edge 30 Fusion, é de se ponderar qual chama mais atenção por suas pequenas diferenças. Atualmente, em Maio de 2023, o Edge 40 está sendo vendido por R$ 3.599,10 no site oficial da Motorola. Enquanto o Edge 30 Fusion está R$ 3.149,10. 

E apesar de ainda não ter sido lançado no Brasil, a versão Pro do Edge 40 já foi lançada em alguns países do exterior, trazendo mais bateria, câmeras melhores, 12GB de memória RAM, uma tela levemente superior, e tendo o Snapdragon 8 Gen2 como chipset, que se trata do principal processador da Qualcomm da atualidade. Portanto, nesse contexto de querer dar um upgrade para um celular atual, pode vir a compensar até mais investir na versão Pro do que na versão base. O veredito final sobre o Motorola Edge 40 é que apesar de ser um bom celular, ele não traz nada de novo e não possui nenhum diferencial relevante. 

Ficha técnica:

Telap-OLED, 6.55’’, Full HD+, 144Hz
ProcessadorDimensity 8020
Memória RAM8 GB
Armazenamento256 GB
Câmeras Traseiras50 MP (Principal)  / 13 MP (Ultrawide) 
Câmera Frontal32 MP 
Bateria4.400 mAh 
Dimensões158.4 x 72 x 7.5 mm – 167 g

No Promobit você também encontra os melhores descontos em iPhones, podendo gastar ainda menos utilizando os cupons Casas Bahia