Take a fresh look at your lifestyle.

Entenda o que levou a Livraria Cultura a pedir recuperação judicial

Esta semana, a Livraria Cultura pediu recuperação judicial. Fizemos um post para te ajudar a entender o motivo disso ter acontecido e o que significa na prática

0

A Livraria Cultura, famosa rede de comércio de livros e papelaria, pediu recuperação judicial na última quinta-feira (24). Mas você sabe o que isso significa e o que levou a empresa a tomar essa atitude e mais importante, o que poderá acontecer daqui para frente?

Pensando em responder a essas perguntas, preparamos esse artigo para você entender o que levou a Livraria Cultura a pedir recuperação judicial.

O que é recuperação judicial?

Uma empresa pode pedir recuperação judicial, ação prevista pela Lei nº 11.101, de 9 de fevereiro de 2005, quando está endividada e não consegue gerar lucro suficiente para se sustentar sozinha e exercer seus deveres, como pagar impostos, funcionários e fornecedores. Assim, literalmente, ela precisa se recuperar financeiramente para que consiga continuar no mercado e faz isso com o intermédio da Justiça.

Funciona da seguinte maneira: após a aprovação do pedido de recuperação judicial pela Justiça, a empresa elabora um processo no qual explica as razões de ter feito o pedido e apresenta dados comprobatórios para isso.

Depois de aprovado o processo, a organização elabora um plano de recuperação que deve ser divulgado a todos os credores envolvidos, que inclusive devem aprová-lo. Se os credores não aprovarem o plano, o juiz declara a falência da empresa. Se for aprovado, a empresa entra em recuperação judicial e deve seguir as etapas previstas no plano de recuperação.

Durante a recuperação judicial, as atividades da empresa seguem normalmente, mas, ela deve apresentar todos os meses um balanço ao juiz e aos credores sobre os avanços obtidos. Caso a empresa não siga os acordos firmados no plano de recuperação judicial, o juiz irá decreta falência da instituição.

print-cultura-certo

Por que a Cultura pediu recuperação judicial?

Um dos motivos que levou a Livraria Cultura a pedir recuperação judicial foi a crise no mercado editorial, que desde 2014 diminuiu 40% dos rendimentos por conta da crise econômica. Esse cenário, além do fato das editoras terem diminuído o fornecimento de livros à rede, fez com que as vendas da empresa ficassem abaixo do esperado. Tudo isso colaborou ainda mais para a falta de rendimentos da Cultura.

Ainda, este mês, a livraria fechou uma unidade do centro do Rio de Janeiro e encerrou as atividades da Fnac no Brasil, rede que havia adquirido em julho de 2017. Após o fechamento, funcionários das unidades Fnac Avenida Paulista e Shopping Morumbi protestaram dentro da Livraria Cultura reivindicando direitos trabalhistas.

Há três meses a empresa vinha tentando fazer ajustes para driblar esse cenário, como eliminar lojas de baixo custo, cortar despesas e fazer revisão do planejamento, mas percebeu-se que não foi suficiente para evitar o pedido de recuperação judicial. A Livraria Cultura foi criada por Eva Herz em 1947.

O que acontece com quem tem pedidos na Livraria Cultura?

Apesar do pedido de recuperação judicial, as operações da empresa continuam normais, pelo menos por enquanto. Por isso, se você recentemente fez um pedido na Livraria, não precisa se preocupar. Em caso de problemas com a entrega, basta seguir os trâmites normais, pois deverá ser alguma questão de logística.


Você acredita que a Livraria Cultura conseguirá se reerguer após a recuperação? Conta para a gente nos comentários. Além de notícias, no Promobit, você encontra as melhores promoções e cupons de desconto da internet! Conheça o nosso site e se prepare para a Black Friday!

Veja também
Comentários

Novo comentário
cancelar
Responder comentário:

Quer receber alertas de novas postagens?

Receba notificações em seu navegador!