Take a fresh look at your lifestyle.

Huawei não terá mais Android: entenda o caso e o que muda para nós

A Google anunciou hoje que a fabricante chinesa não poderá mais contar com o sistema Android e muitos dos aplicativos desenvolvidos pela empresa americana. Saiba o que isso significa para o consumidores da marca.

3

A briga da gigante chinesa Huawei por uma fatia melhor do mercado global de celulares inteligentes recebeu mais uma reviravolta digna de série. Agora, a americana Google anunciou que irá interromper os serviços oferecidos pela empresa, o que inclui acesso a versões atualizadas do sistema operacional Android e a alguns aplicativos, como Gmail, Google Maps e YouTube para celulares da marca chinesa.

O anúncio vem alguns dias após a Huawei ter lançado no Brasil o seu novo top de linha, o Huawei P30 Pro, e é mais um passo na guerra que o governo de Donald Trump está travando contra a marca oriental.

Leia mais: HUAWEI P30 Pro terá mais de R$ 2 mil de desconto na troca pelo seu celular usado

O Google não foi a única empresa americana a tomar uma atitude prejudicial à empresa chinesa, Intel, Qualcomm e Broadcom também bloquearam seus serviços para a fabricante chinesa e espera-se que outras empresas americanas, como a AMD e a Microsoft também retirem seus serviços, cumprindo o bloqueio dos Estados Unidos. Atualmente a Huawei utiliza os chips fabricados pela Intel e os processadores da Qualcomm para seus smartphones, e os chips de comutação da Broadcom para seus equipamentos de rede móvel.

Mas o que tudo isso muda para você, consumidor, e principalmente para quem possui um celular Huawei? vamos explicar a seguir.

Eu tenho um celular Huawei, e agora?

Segundo um comunidcado feito pela conta oficial do Android no Twitter, os serviços da Google devem continuar funcionando nos aparelhos já existentes e em uso nos Estados Unidos (e, espera-se, para outros países).

Fonte: Conta oficial do Android

Isso porque a Huawei utiliza no momento uma versão do Android disponível por código aberto, ou seja, disponível para qualquer pessoa ou empresa que queira usá-lo ou modificá-lo. No entanto, a Huawei não deverá ter acesso a novas atualizações dessas versões de código aberto nem acesso às versões novas que forem sendo lançadas.

Para quem já possui um smartphone Huawei, a previsão feita por diversos sites de tecnologia dos Estados Unidos é de que o sistema desses aparelhos deva continuar funcionando por pelo menos um ano, a partir de agora. No entanto. como não receberão mais atualizações, poderão apresentar vulnerabilidades em curto prazo. A Huawei, no entanto, afirma que continuará trabalhando em atualizações de segurança mensais.

Se você estava pensando em comprar um aparelho da marca logo, nossa sugestão e esperar e acompanhar de perto a resolução desta situação. Ainda não se sabe se por quanto tempo o bloqueio irá continuar e a Huawei também afirma que há alguns anos está se preparando para caso esses bloqueios realmente acontecessem.

O plano B da empresa chinesa

A situação conturbada entre a empresa chinesa e o governo dos Estados Unidos já está em pauta entre as empresas e meios de comunicação há um bom tempo, fazendo com que a Huawei já começasse a desenvolver maneiras de se proteger caso as ameaças de bloqueio comercial realmente acontecessem.

A chinesa diz já estar trabalhando em um sistema operacional próprio, para um caso de emergência, apesar de preferir continuar trabalhando com o sistema Android. Quem fez o anúncio foi o próprio CEO da empresa, Richard Yu, para o jornal alemão Welt. No entanto, ainda não há muitas informações sobre o estado de desenvolvimento desse sistema operacional nem detalhes de como ele funcionaria.

Mesmo se for implantado em futuros aparelhos, o sistema teria o grande empecilho de falta de aplicativos desenvolvidos para ele, já que 70% dos downloads de aplicativos atualmente são feitos na Google Play (Android) e 22,6% pela Apple Store (iOS).

Leia mais:

 

O bloqueio de Trump: entenda o caso

Apesar de não citar diretamente a Huawei, o bloqueio comercial iniciado por Trump mira especificamente empresas chinesas, que são atualmente as maiores concorrentes dos Estados Unidos no mercado global de tecnologia.

Basicamente, a “lista negra” do presidente americano diz que empresas estrangeiras não podem comprar tecnologia de empresas americanas da área sem aprovação do governo, principalmente na área de telecomunicações.

A guerra comercial entre Estados Unidos e China não é nova, mas acontecimentos recentes levaram a uma escalada da situação, com Trump declarando “estado de emergência nacional” semana passada, proibindo que qualquer empresa estrangeira venda equipamentos de telecomunicação aos Estados Unidos, como antenas 3G e 4G. Agora, o presidente ianque lançou uma lista de boicotes que cita a Huawei e mais 70 empresas que necessitam de licença do governo americana para utilizar tecnologia do país.


Se você não quer esperar para comprar um novo celular por um bom preço, confira nossas promoções de smartphones do momento, assim como nossos principais cupons de desconto.

Veja também
Comentários

Novo comentário
cancelar
Responder comentário:

Quer receber alertas de novas postagens?

Receba notificações em seu navegador!